Sexta-feira, 23 de Setembro de 2005
frosch.jpg

Onde é que este gajo tem andado? Devem ter perguntado vocês, vezes sem conta. Devem ter grande merda a ver com isso, até parece que tenho de dar satisfações a alguém?!
Pois é, agora parece que é moda dar nomes de mulher aos furacões. Assim sendo pergunto-me porque é que em vez de Katrina, não chamaram Manuela Ferreira Leite ao furacão que arrasou a cidade de New Orleans? Essa sim foi uma mulher ainda pior que um furacão, ela não arrasou uma cidade, afundou um país.
Mas a razão que me leva a escrever hoje é nada mais, nada menos do que esta: O BLOG CELEBRA ESTE MÊS UM ANO DE EXISTÊNCIA!!!!
Como tal este artigo tem como objectivo agradecer a todos (Alice incluída) os que aqui têm vindo. Quero agradecer também ao Killi, que é um baluarte deste tão afamado blog, e dar as boas vindas ao Roody. Esperando sinceramente que este continue a ser um espaço, de passagem obrigatório.
Já aqui tivemos artigos que pela sua genialidade fazem parte da história da blogosfera. Como é o caso do; “A ceifeira debulhadora” ou o “Singela a forma de dizer puta que pariu” entre outros. Mas nada disto faria sentido, se não fossem as vossas visitas, comentários, criticas, elogios etc., etc., como tal, só posso dizer que da minha parte, vou continuar a escrever sempre que possa e me apeteça claro. Independentemente de agradar ou não a muita gente. Não se pode agradar a Gregos e Troianos.
Durante este ano tivemos muitas criticas, elogios, zangas, recados pessoais... mas o mais importante é que certamente, muitos sorrisos e gargalhadas também foram largados, por quem divide connosco este espaço. Afinal de contas o nosso principal objectivo é tentar divertir quem cá passa.
Um bem-haja a todos e continuem a passar por cá, serão sempre bem vindos. (sim Alice, tu também és bem vinda.)

Gregos ou Troianos...
Continuem bem!


publicado por pjohnny às 12:24 | link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Terça-feira, 20 de Setembro de 2005
Quem não fica, directa ou indirectamente, afectado com o flagelo que nos vai assolando todos os anos e que causa tanta controvérsia durante os meses a que está afecto?
Estou, pois, como já perceberam, a falar dos fogos que vão ardendo o nosso país.

Para que tenhamos a consciência do que se passa para lá das câmaras dos media, e porque este blog também aborda assuntos de grande importância, como é o caso. Dou-vos agora a conhecer um artigo que me chegou ás mãos há momentos e que não quero deixar de partilhar com todos vós.

É no mínimo revoltante! Se não vejam.


“Um quartel de bombeiros que levou um ano inteiro a apostar na prevenção e sensibilização para a questão dos fogos florestais e que obteve resultados dessa mesma política foi fortemente penalizado em termos económicos por "não ter atingido as quotas necessárias de área ardida"! Foi dito ao seu comandante – homem de bem – pelas hierarquias "que não seria contemplado com fundos, por a área ardida não ter sido a suficiente".

Em conversa com o homem que respeita a Natureza fiquei deveras elucidado sobre quem lucra com o chamado "negócio dos fogos".

Combatia a sua corporação um incêndio que havia deflagrado, embora de pequena dimensão e que estava completamente controlado, quando é confrontado com o aparecimento de elementos de outras corporações que, sem haverem sido solicitados, se apresentaram no local "para ajudar a debelar o sinistro". Surpreso, questionou os outros comandantes. "Viemos dar uma ajuda. Pode começar por mandar abastecer os nossos carros, não se esqueça das refeições dos nossos homens e providencie alojamento para todos". Ainda tentou argumentar "que ninguém os havia chamado, que aquela deslocação de meios era desnecessária e que o abastecimento de combustível, refeições e alojamentos seriam da responsabilidade da corporação que comandava e que não via necessidade alguma em delapidar meios e dinheiro sem haver necessidade de tal".

Tentei entender toda a trama. "Meu caro" – disse-me – "infelizmente também muitos bombeiros lucram com este negócio". "Sabe porquê?" – questionou-me – "Porque um comandante deslocado da sua zona de intervenção tem uma remuneração diária de cerca de 100 euros, mais alimentação e alojamento". "O negócio dos incêndios também é lucrativo para alguns bombeiros. Não falo dos desgraçados que abnegadamente combatem efectivamente os incêndios. Falo dos superiores hierárquicos, que, para além do que lhe disse, nalguns casos ainda têm interesses em empresas que fornecem meios de combate a fogos, outros têm gasolineiras que abastecem as viaturas, etc."

"No fim" – continuou – "muitos ainda vão depois para Lisboa ganhar chorudos ordenados à custa daqueles que desinteressadamente defendem as florestas".

Se todos sabemos que as companhias que detêm os meios aéreos, alguns madeireiros, poucos pastores e muitos agentes imobiliários lucram com um país em chamas, não seria previsível que alguns bombeiros sem escrúpulos pudessem ser também atraídos para o crime ambiental e económico que todos os anos deixa a nossa floresta mais pobre. Ainda mais impensável é o incentivo dos governantes. Como explicar aos portugueses que ficaram na mais profunda miséria que uma corporação, que preveniu e apostou na sensibilização, é fortemente penalizada na atribuição de verbas por não ter atingido a "área ideal ardida"? "


Afinal, em que país vivemos nós? Prendem-se os doentes mentais e deixam-se os verdadeiros culpados na rua para que no próximo ano tudo se volte a repetir? Engana-se um povo com duvidosas estatísticas, que asseguram que apenas 20 por cento dos fogos são de origem criminosa?


Pensem nisto...


Até breve!


publicado por pjohnny às 13:09 | link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Segunda-feira, 19 de Setembro de 2005
...


publicado por pjohnny às 10:22 | link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Quarta-feira, 14 de Setembro de 2005
Caros bloguistas, pretendo, antes de mais, deixar bem expressas as minhas humildes e sinceras desculpas pelo facto de não vos ter dado a oportunidade de poderem comentar o artigo referente à minha chegada a este grandioso blog. Coisas de novatos…!
De qualquer forma poderão faze-lo neste que agora edito.

Devem ter, ou não, reparado que se passaram alguns dias (14, para ser preciso) sem vos ter presenteado com qualquer outro artigo, nem sequer responder ao meu surpreendente (vou arriscar…) colega (pronto já disse) Kili.
A verdade é que tive de me ausentar urgentemente sem que tivesse, entretanto, qualquer hipótese de o fazer.
Assim, desta forma tentarei agora dissipar todas e quaisquer dúvidas que possam eventualmente ter surgido após a minha primeira intervenção.

A saber:

PRIMEIROS: Quanto à brecha, dita aberta, pelo PJoni, deixo aqui bem claro que não foi a minha, ao contrário do que muitos possam ter pensado ou levados a pensar. Não que eu tenha alguma coisa contra mas na realidade não sou muito chegado a essas coisas, pelo menos de uma forma passiva, se é que me faço entender.

SEGUNDOS: Se as longas noites de conversação que antecederam a minha entrada (no Blog) não foram também na tua presença Kili, então de quem terá sido??? Certo, certo é que vi sempre dois gaijos. É verdade que comecei sempre com o PJoni mas à medida que as conversações se iam (des)enrolando aparecia sempre outro gaijo qualquer…ou seria já fruto do cansaço destas? Vá-se lá saber…isto há coisas…

TERECEIROS: Quanto à monstruosidade descrita, posso apenas acrescentar que nunca tive qualquer intenção de ferir susceptibilidades. Mais, também estou certo de que nunca me referi a um “ente fantástico das lendas mitológicas”…fica então à vossa consideração.

Creio que consegui dissipar as dúvidas levantadas, não só pelo Kili como também por alguns dos nossos estimados bloguistas.



Aproveito ainda para pedir a vossa colaboração para o seguinte; caso não consigam comentar este artigo façam-no por favor no anterior, o do Kili, i.e, se ele o permitir, claro. Isto porque me parece que estou com alguns problemas no que respeita à funcionalidade do meu login.
A todos, o meu obrigado pela vossa compreensão.


Até breve!


publicado por pjohnny às 15:00 | link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Terça-feira, 13 de Setembro de 2005
Este foi mais um mail que eu recebi, li e gostei...Não foi escrito por mim...mas podia ter sido....(esta foi subtil)!
Tem o seu quê de graça e no fundo, fundo....até é verdade...




"Desde que os americanos se lembraram de começar a chamar "afro-americanos" aos pretos, com vista a acabar com as raças por via gramatical - isto tem sido um fartote pegado! As criadas dos anos 70 passaram a "empregadas" e preparam-se agora para receber menção de "auxiliares de apoio doméstico".

De igual modo, extinguiram-se nas escolas os "contínuos"; passaram todos a "auxiliares da acção educativa".

Os vendedores de medicamentos, inchados de prosápia, tratam-se de "delegados da propaganda médica". E pelo mesmo processo transmudaram-se os caixeiros-viajantes em "técnicos de vendas".
Os drogados transformaram-se em "toxicodependentes" (como se os consumos de cerveja e de cocaína se equivalessem!); o aborto eufemizou-se em "interrupção voluntária da gravidez"; os gangues étnicos são "grupos de jovens"; os operários fizeram-se de repente "colaboradores"; e as fábricas, essas, vistas de dentro são "unidades produtivas" e vistas da estranja são "centros de decisão nacionais".
O analfabetismo desapareceu da crosta portuguesa, cedendo o passo à "iliteracia" galopante. Desapareceram outrossim dos comboios as classes 1.ª e 2.ª, para não ferir a susceptibilidade social das massas hierarquizadas, mas por imperscrutáveis necessidades de tesouraria continuam a cobrar-se preços distintos nas classes "Conforto" e "Turística".
A Ágata, rainha do pimba, cantava chorosa: «Sou mãe solteira...»; agora, se quiser acompanhar os novos tempos, deve alterar a letra da pungente melodia: «Tenho uma família monoparental...» - eis o novo verso da cançoneta, se quiser fazer jus à modernidade impante.

Aquietadas pela televisão, já se não vêem por aí aos pinotes crianças irrequietas e «terroristas»; diz-se modernamente que têm um "comportamento disfuncional hiperactivo". Do mesmo modo, e para felicidade dos "encarregados de educação", os brilhantes programas escolares extinguiram os alunos cábulas; tais estudantes serão, quando muito, "crianças de desenvolvimento instável".
Ainda há cegos, infelizmente, como nota na sua crónica o Eurico. Mas como a palavra fosse considerada desagradável e até aviltante, quem não vê é considerado "invisual". (O termo é gramaticalmente impróprio, como impróprio seria chamar inauditivos aos surdos - mas o "politicamente correcto" marimba-se para as regras gramaticais...)

Para compor o ramalhete e se darem ares, as gentes cultas da praça desbocam-se em "implementações", "posturas pró-activas", "políticas fracturantes" e outros barbarismos da linguagem.
E assim linguajamos o Português, vagueando perdidos entre a «correcção política» e o novo-riquismo linguístico.
À margem da revolução semântica ficaram as putas. As desgraçadas são ainda agora quem melhor cultiva a língua. Da porta do quarto para dentro, não há "politicamente correcto" que lhes dobre o modo de expressão ou lhes imponha a terminologia nova. Os amantes do idioma pátrio, se o quiserem ouvir pleno de vernaculidade, que se dirijam ao bordel mais próximo. Aí sim, um pénis de 25 centímetros é um "car**** enorme" e nunca um "órgão sexual masculino sobredimensionado"; assim como dos impotentes, coitados, dizem elas castiçamente que "não levantam o pau", e não que sofrem de "disfunção eréctil"."


publicado por pjohnny às 16:01 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Antes de mais, aproveito a ocasião para desejar a todos aqueles que agora
regressam das suas férias, que possam fruir de um novo ano de trabalho
produtivo (tá bem tá) e sem grandes reivindicações, que o país está em
crise...Aproveito também para informar que a partir de 19 de Setembro
estarei de férias!(se algum ou alguma engraçadinha fizer qq tipo de
comentário jocoso ao facto arrisca-se a ouvir um mimo).
E agora vamos ao que interessa...
Como já constataram, temos um "novo" colaborador no blog, e escrevo novo
entre comas (ou aspas para os mais...limitados)porque não o conheço e não
sei se o 77 que ele usa no nick, se refere ao ano de nascimento ou à idade
do senhor!...
E se o gaijo , logo no 1º artigo, se achou no direito de me chamar de
monstro (e isto sem me conhecer...imaginem se conhecesse...)eu tenho para
mim que me assiste o direito de lhe fazer uns reparos...

PRIMEIROS: essa história do "...ah e tal o Pjoni abriu uma pequena
brecha..." sinceramente não me parece muito bem. Isso são coisas de
intimidade do rapaz e não são para aqui chamadas...Pois ele que abra as
brechas que quiser que nós não temos nada a vêr com isso...

SEGUNDOS: quanto ás "...longas e difíceis noites de negociações..."tenho a
dizer que nunca participei nelas...que não sei se estão ligadas com a tal
abertura de brechas, e que apesar de serem livres para fazerem o que bem
entenderem, é minha opinião que não devem utilizar este espaço para
partilhar esse tipo de vivências!Claro que o facto de eu não ter estado
presente nessas noites torna-me alheio ao desenrolar (se bem que com estes
gaijos deve ter sido mais enrolar) da situação!

TERCEIROS:o facto de me ter chamado de monstro deixou-me expectante quanto
ao facto de eu poder ou não dar instruções ás minhas advogadas para
intentarem um processo criminal contra o amigo colaborador...Tudo vai
depender de definição que o amigo quis dar quando me chamou de
monstro...Apesar de ter ficado (por largos minutos) quezilento e taciturno,
tudo vai depender...É que após uma exaustiva consulta ao dicionário
(exaustiva pq este dicionário que tenho pesa alguns 30 kg's) cheguei à
conclusão de que "monstro" pode ser "...ente fantástico das lendas
mitológicas..." ou "...o que é extremamente feio..."A vêr vamos (como diria
Ray Charles, esse grande assentador de "tijóis")

Mas como quem me conhece, sabe que eu sou um gaijo justo e amigo do meu
amigo, quero também aqui publicamente dar as boas vindas ao Rodantos,
desejar que a sua colaboração seja longa e frutuosa (podendo assim abrir as
brechas que bem entender).

Ahhh, é verdade...ó Rodantos, quando escreveres um artigo tens de o abrir
(salvo seja) a comentários...Ou então não usar termos que deixem as meninas
aos saltos como aquele "...sosseguem a passarinha"....É que tou farto de
receber telefonemas a queixarem-se que não conseguem comentar o teu
artigo...Um abraço para ti!

Joni pá....ainda vais ter de me dizer quanto pagaste ao gaijo para ele
querer vir escrever pró blog......Um abraço para ti tb!


publicado por pjohnny às 09:48 | link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

falar de tudo não dizendo nada!
mais sobre mim
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

Voltei, voltei...voltei d...

Actualidades

limpeza etnica

Mulheres fora do Futebol

no meu tempo é que era (r...

Halls Mentholiptos

voltei voltei....

Brokeback Mountain

Gerações???Mas que geraçõ...

no meu tempo é que era!

arquivos

Abril 2012

Setembro 2008

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

blogs SAPO
subscrever feeds